Mais de 120 mil pessoas já utilizaram as pias solidárias instaladas pela GS Inima SAMAR em Araçatuba

Com apenas água e sabão, as pias representam uma solução criativa e acessível para fazer frente à pandemia do novo coronavírus.

 

As pias solidárias instaladas pela GS Inima SAMAR em 15 pontos diferentes de Araçatuba para incentivar os cuidados com a higienização das mãos no combate ao Coronavirus já foram utilizadas por mais de 120 mil pessoas num período de sete meses. Colocadas estrategicamente em pontos de prestação de serviços essenciais, como as unidades básicas de saúde, Pronto Socorro e estação rodoviária, as pias solidárias têm uma estrutura simples e são acopladas a um suporte de tambor reciclado, disponibilizando água tratada e sabão para que a população possa higienizar as mãos, protegendo-se contra o Coronavirus em locais de grande fluxo de pessoas. As pias são interligadas às redes de abastecimento de água e esgoto e todas têm controle com medidores para registro de consumo, além de instruções sobre a lavagem correta das mãos e sinalização de solo para manter o distanciamento.

 

A primeira unidade, montada pelo setor de eletromecânica da GS Inima SAMAR, foi instalada, em parceria com a Prefeitura de Araçatuba, na Unidade Básica de Saúde do Jardim TV, em oito de junho de 2020, quando ainda acontecia uma rigorosa quarentena em combate à disseminação do vírus.  Nos meses seguintes, foram instaladas mais 14 pias em outras seis unidades básicas de saúde, Pronto Socorro, Estação Rodoviária, Fundação Casa, Tiro de Guerra, Bom Prato, Associação dos Catadores de Papel e unidade de saúde da Associação dos Investigadores de Polícia do Estado de São Paulo.

 

“Lavar as mãos é uma ação muito simples e, ao mesmo tempo, é a principal medida para reduzir infecções, especialmente em ambientes de assistência à saúde. Mesmo antes da pandemia, um documento da Organização Mundial da Saúde, de 2005, já falava do controle da disseminação de infecções com a utilização da água”, diz o diretor técnico da GS Inima SAMAR, Rondinaldo Lima, revelando que o agravamento da crise sanitária, a partir de março último, levou a empresa a colocar em prática esse projeto que já estava em construção.

 

Desde junho, mais de 45 mil pessoas já se utilizaram as pias somente nas unidades básicas de saúde e Pronto Socorro de Araçatuba. A Prefeitura Municipal é hoje a principal parceira da GS Inima SAMAR neste projeto, mas outras instituições e empresas também podem participar. A contrapartida para os locais onde as pias são instaladas é a reposição do sabão, limpeza e proteção do local. O volume de água utilizado é descontado pela GS Inima SAMAR da conta das instituições parceiras.

 

O projeto continua em expansão e novas pias devem ser instaladas nas unidades básicas de saúde dos bairros Engenheiro Taveira, Águas Claras, Terminal Rodoviário, Agência Reguladora DAEA e calçadão de Araçatuba.

 

MONTAGEM DAS PIAS É SIMPLES E DE CUSTO ACESSÍVEL 

 

As pias coletivas são construídas com uso de tambor adquirido em ferro velho e reciclado e contam com recipiente para sabonete líquido, água direto da rede de abastecimento e solução para disposição do esgoto.

 

As primeiras unidades foram construídas pela própria GS Inima SAMAR, mas a empresa tem uma proposta onde os futuros parceiros podem investir na confecção e instalação das pias solidárias. O custo para a confecção da pia, com todos os equipamentos necessários, é estimado em R$ 820,00. A instalação custa R$ 289,99 e é feita por empresa terceirizada. A adesivação é estimada em R$ 360,00. O valor total da pia é de R$ 1.469,99.

 

Com o investimento, as empresas parceiras poderão inserir suas logomarcas no projeto visual da pia e nos demais materiais de comunicação do projeto. O parceiro também poderá sugerir os locais para a instalação, a ser validado em conjunto com a GS Inima SAMAR.

 

As parcerias são consolidadas com a assinatura de um termo onde constam os direitos e obrigações de cada parte. O parceiro também recebe um relatório de avaliação para registro dos principais resultados e números de pessoas impactadas.

 

USUÁRIOS ELOGIAM O PROJETO

 

“É bom demais ter uma pia para lavar as mãos bem na entrada do posto”, diz o servente de pedreiro Altair Gomes, atualmente desempregado, que veio marcar a data da operação de catarata na Unidade Básica de Saúde do Jardim TV, em Araçatuba. Essa unidade foi a primeira a receber a pia solidária da GS Inima SAMAR em oito de junho passado. Até agora, o sistema de monitoramento já registrou mais de três mil acionamentos da torneira pelos usuários do local. A agente comunitária de saúde, Sandra da Silva Homem, que atende Altair, faz uma observação interessante sobre a pia: “as crianças usam muito e depois chamam os pais para usar também”.

 

Na estação rodoviária de Araçatuba, o aposentado José Souza Bonfim, que foi comprar passagens, lava as mãos várias vezes e diz que tudo é importante no combate ao vírus. “Está todo mundo com muito medo e prevenir é o melhor remédio”, diz ele. No setor de embarque e desembarque foram instaladas duas pias e o local é o recordista na quantidade de pessoas atendidas: são mais de 50 mil desde junho.

 

No Pronto Socorro de Araçatuba, por onde passam cerca de 500 pessoas por dia, o aposentado Sebastião Cavalcanti tem a mesma opinião que o servente de pedreiro José Gerônimo Gonçalves, atendido no Bom Prato: as pias são muito importantes para a limpeza das mãos e dão um pouco mais de tranquilidade para quem precisa ficar nas ruas.

 

Na Associação dos Catadores de Papel, Papelão e Materiais Recicláveis de Araçatuba (Acrepom) a pia está instalada na calçada, próximo da entrada, Além dos 26 associados, ela é usada também pelas pessoas que vão doar materiais.  O catador Davi Alves de Souza, amazonense que está na associação a quatro anos, diz que com a chegada da pia ele mudou seus hábitos e passou a lavar as mãos com mais frequência.

 

No Tiro de Guerra de Araçatuba, o subtenente Álvaro Fetsc Coutinho elogia muito a iniciativa: “Para nós essa pia foi fundamental. Antes era somente o álcool em gel, mas a orientação para todos os quarteis era para não ficar somente nesse nível. Com chegada da pia e a higienização constante das mãos, tivemos poucos casos de Covid”, diz o militar que é responsável pela instrução de 100 atiradores entre os meses de março a novembro. Além dos atiradores, todos os visitantes que vão solicitar serviços do Tiro de Guerra também precisam passar pela pia.

 

“Além de ser bonita e diferente, a pia é útil, necessária e de grande importância. Para nós foi um ganho muito grande, um presente da GS Inima SAMAR”, diz o diretor da Fundação Casa de Araçatuba, Cristiano Garcia. Ele revela que todos os servidores, colaboradores e parceiros que vão até a Fundação Casa lavam as mãos quando chegam. “É um presente simples, mas importante. Um detalhe que faz a diferença no nosso dia a dia”, conclui Cristiano.

 

Monitoramento do uso das pias é feito duas vezes por semana

 

A contagem do número de pessoas que se utiliza das pias é feita semanalmente por funcionários da GS Inima SAMAR. Em cada pia é instalado um hidrômetro para medir a quantidade de água consumida. “Essa medição é feita apenas para controle de consumo e não é cobrada da instituição participante”, alerta Francino Palhares da Silva, operador de estação de tratamento de água que participa do projeto.

 

O cálculo para se chegar ao número de usuários da torneira é feito levando-se em conta que dois acionamentos são suficientes para se lavar as mãos de uma pessoa e representam um consumo de cerca de 600 mililitros de água por lavagem. Assim, em um local onde se consumiu, por exemplo, 140 litros numa semana, divididos por 600 mililitros a cada lavada de mãos, é possível se chegar a um total de 233 usuários.

Os números coletados integram uma planilha de acompanhamento que permite o monitoramento de cada pia instalada no município.

 

Documento de 2005 da Organização Mundial da Saúde já alertava sobre a importância da higienização das mãos e o risco de infecções virais

 

As Diretrizes da OMS sobre a Higienização das Mãos na Prestação de Assistência à Saúde (Versão Preliminar Avançada), publicadas em 2005, já alertavam para a importância da higienização das mãos na redução das infecções associadas à assistência à saúde. Apesar de ser uma ação muito simples e a medida mais importante para prevenir e controlar as infecções “garantir o seu aperfeiçoamento é uma tarefa complexa e difícil”, alertava o órgão máximo da saúde mundial.

 

As infecções relacionadas à assistência a saúde são classificadas como as maiores causas de morte de doentes de todas as idades, principalmente entre os mais vulneráveis da população. Ainda em 2005, o documento da OMS já fazia referências ao surgimento de infecções que ameaçam a vida “como a síndrome aguda respiratória grave (SARS), a febre hemorrágica viral (infecções virais Ébola e Marburg) e o risco de uma nova pandemia de gripe (influenza)”.

 

Números preocupantes

 

Documentos da OMS e do Unicef alertam que um em cada quatro centros de saúde espalhados pelo mundo precisa de serviços básicos de água. E isso coloca 1 bilhão e 800 milhões de pessoas em maior risco de contrair infecções.

 

Os documentos afirmam ainda que um em cada três unidades de saúde carece de instalações para lavar as mãos onde se atende os pacientes. E alerta que devemos atuar agora para integrar a água no planejamento, orçamentos e programação do setor de saúde.

 

 

 

    Galeria de Fotos